Anuncie Aqui 98705-3786




quinta-feira, 7 de setembro de 2017

ENCONTRO HISTÓRICO: EX-INTEGRANTE DA ORQUESTRA DA FAZENDA IRAPURU DE PROPRIEDADE DE TEODORICO BEZERRA ESTEVE VISITANDO GENÉSIO ALVES.

Quem esteve em Campo Redondo nesta quinta-feira, dia 07 de setembro de 2017, foi o ex-integrante da Orquestra da Fazenda Irapuru do saudoso Theodorico Bezerra. Na visita o ex-integrante da orquestra da fazenda Irapuru de Teodorico Bezerra o senhor Valdecir Pereira da Silva estava acompanhado doa seus filhos Vanderlei Pereira, Valério Pereira e Waldemir Pereira com objetivo de prestar uma homenagem especial ao amigo Genésio Alves de Campo Redondo que também além de professor exerceu a função de oficial de justiça. A família de músicos de Tangará fizeram uma grande apresentação musical em comemoração ao aniversariante Genésio Alves. Em breve divulgaremos no nosso canal no YouTube uma entrevista com o senhor Valdecir Pereira e um lindo instrumental de épocas passadas.

Seu Valdecir Pereira é também um grande amigo da tradicional família Bezerra, o mesmo trabalhou por muitos anos ao lado do saudoso Major Theodorico Bezerra, e com isso criou um vínculo de amizade que até hoje vem se fortalecendo a cada ano.

Biografia do Major Theodorico Bezerra


Filho de José Pedro Bezerra e de Ana Bezerra de Sousa. Fez os primeiros estudos em sua terra natal. Em 1917 exercia o comércio, como ambulante, em princípio comprando e vendendo tudo. Também foi mascate, comprador de couros de animais e padeiro. Mas o negócio de couro é que teve maior expressão na sua vida de comerciante. Parou suas atividades quando foi servir ao exército, no 21º Batalhão de Caçadores, em Natal, onde permaneceu de 1923 até 1924, quando chegou até a graduação de cabo. Por essa razão, ficou conhecido pela alcunha de “cabo”. O título de “major” apareceu depois, quando militava na política. Era sobrinho do coronel Ezequiel Bezerra.
Era proprietário de quatro fazendas no agreste do estado, sendo a maior delas a Fazenda Irapuru, latifúndio de 14 mil hectares, onde Teodorico plantava algodão e vivia como um verdadeiro senhor feudal, cercado de "súditos" a quem periodicamente distribuía favores, em vez de pagar-lhes salário pelo trabalho na lavoura. "Irapuru", que fica distante 15 km de Tangará, estabeleceu regras para a permanência dos seus funcionários. O lugar era uma espécie de "centro administrativo" das atividades na zona rural. Quem desejasse ficar tinha de seguir várias orientações como não usar arma, não jogar baralho e matricular os filhos na escola local. No mercado do lugar ainda se observa na parede uma série de orientações, entre elas, não falar da vida alheia. "O morador que não cumprir fielmente êste regulamento, será tomado o roçado e terá o prazo de 24 horas para desocupar a casa e ir embora desta propriedade", diz o documento em que constam as regras do lugar.
A residência do "major" está preservada até os dias de hoje. É a casa onde os filhos passam temporadas. Além da casa, existe um castelinho de pedras feito para descanso de Teodorico. "Ele dizia que pela manhã havia muita zoada dos empregados da casa e gostava de ficar lá", lembra a filha Sânzia Bezerra.



Fonte Wikipédia
Por George Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário